Nossa energia vem de você

Agência Virtual

Novo transformador entrou em funcionamento em novembro

02/12/2011

“Os investimentos são necessários para melhorar a qualidade dos nossos serviços”. A nova aquisição da Cetril já está em funcionamento e elevou a capacidade de atendimento da cooperativa.

No mês de maio de 2011 a Cetril adquiriu um transformador de força para a subestação Ibiúna (SE-01) de 5 MVA (5.000 KVA), para substituir um existente de 3,75 MVA (3.750 KVA), o transformador entrou em funcionamento no mês de novembro. “Isto significa que a diferença entre os transformadores é de 1,25 MVA (1.250 KVA), com essa diferença será possível atender em média cerca de 1500 residências de médio porte, ou seja, numa média de três pessoas por residência, pelo menos 4.500 pessoas serão atendidas com a nova aquisição”, informou o engenheiro Abel Paulo Domingues, supervisor do COD e coordenador de manutenção. O presidente da Cetril, Nélio Antonio Leite, afirmou que a Cetril está realizando grandes investimentos visando a melhoria continua dos serviços prestados e a satisfação do cliente. “Além da aquisição e instalação do transformador. Este ano investimos, entre outras coisas, na reforma, manutenção e ampliação de nossa rede. A implantação da rede compacta nos bairros que margeiam a rodovia Bunjiro Nakao, após o km 74, já estão atendendo cerca de 5 mil famílias”. Segundo o engenheiro eletricista, Alberto Hilário Ferreira, essas obras foram necessárias devido ao aumento das cargas elétricas que foram incorporadas pela Cetril após a troca de áreas com a CPFL. “Foram reformadas aproximadamente 7 km de rede de distribuição convencional (cruzetada) com cabos de alumínio nu 1/0 AWG (aproximadamente 53 mm² de seção), que passaram para rede de distribuição compacta (space cable) composto de 02 circuitos, em primeira etapa teremos um circuito, com cabos de alumínio isolado de 120 mm² de seção em cada circuito”, informa o engenheiro responsável. Ainda segundo Ferreira, essas redes possibilitam uma melhor adequação às cargas instaladas, melhorando a distribuição de energia principalmente devido a distancia, pois as maiores cargas encontram-se nos extremos dos circuitos. “Será construído, também, um circuito de 1,1 km de rede compacta com cabo isolado de 120 mm² para interligar o trecho da rede assumida pela Cetril com os ramais já existentes após o bairro da Ressaca”, complementa.